Logo Vejapixel

Tráfego orgânico: o que é e como atrair visitantes para o seu site!

Tópicos

Tráfego orgânico é um dos principais objetivos de marketing digital das empresas. Refere-se aos visitantes que chegam até o seu site por meio de links não-pagos. Em geral, eles vêm dos resultados orgânicos do Google, mas também de outros canais e por meio de diferentes estratégias, como SEO e conteúdo.

Atrair interessados no seu negócio sem precisar pagar pela divulgação: qual empresa não gostaria disso? Não é por acaso que gerar tráfego orgânico é um dos principais desejos das empresas no marketing digital.

Estratégias de otimização para buscadores (SEO), produção de conteúdo e link building são alguns exemplos que você pode usar para aumentar as visitas ao seu site. Mas, antes de aplicá-las, é importante conhecer bem o seu público e definir seus objetivos. Dessa forma, o tráfego orgânico pode se tornar o principal responsável pelas conversões do seu site.

Neste artigo, vamos analisar a fundo o que é tráfego orgânico e como você pode aplicar estratégias inteligentes para atrair potenciais clientes até o seu site. Siga com a gente para saber tudo.

O que é tráfego orgânico?

Tráfego orgânico é o fluxo de visitantes que chegam até o seu site sem que você tenha investido diretamente nas mídias de divulgação que os levaram até lá. Trata-se de uma das principais formas de atrair visitantes para o site, com uma série de vantagens.

Quando você produz conteúdos de qualidade para um site ou blog, as páginas podem alcançar as melhores posições dos buscadores. Dessa forma, ganham visibilidade e geram visitas para o site.

Esses visitantes são considerados orgânicos porque você não precisou pagar para atraí-los. Afinal, o Google não aceita pagamentos para posicionar páginas nos resultados da busca, a não ser que você invista em links patrocinados pelo Google Ads. Nesse caso, você geraria tráfego pago, que tem outras características.

Embora o tráfego orgânico se refira principalmente aos visitantes que chegam a partir da busca do Google, esse conceito pode englobar também outros canais e estratégias. Links em redes sociais, e-mails e outros sites parceiros também podem gerar tráfego sem que você pague diretamente por essa divulgação.

Mas é importante notar que, embora o tráfego orgânico não envolva investimento direto em mídia, não significa que não gere custos. Talvez você tenha que investir, por exemplo, em ferramentas de marketing digital e em pessoal capacitado em estratégias orgânicas. Portanto, o seu planejamento de marketing deve prever esses custos.

Quais as vantagens do tráfego orgânico?

Tráfego orgânico é um dos principais objetivos no marketing digital não apenas por trazer resultados sem exigir investimentos em mídia. Atrair esse tipo de visitante traz uma série de vantagens para as empresas. Vamos ver agora quais são os mais importantes:

Gerar tráfego sem pagar pela mídia

Sim, essa é a principal vantagem do tráfego orgânico. Enquanto o tráfego pago demanda investimentos em anúncios online, os visitantes orgânicos chegam até o seu site sem que você precise pagar por isso. Dessa forma, você consegue reduzir o custo de aquisição de clientes e obter um custo-benefício muito positivo.

Fortalecer relacionamento com consumidores

As estratégias para atrair tráfego orgânico tendem a fortalecer o relacionamento com os consumidores. O foco não é a conversão imediata, porque muitas pessoas que se aproximam do seu conteúdo ainda estão amadurecendo a decisão de compra. Por outro lado, a marca pode acompanhar esse amadurecimento, ajudar nas escolhas e, assim, ganhar a sua confiança.

Atrair visitantes interessados

Os visitantes orgânicos chegam até o seu site porque encontraram seu link no Google, viram um post nas redes sociais ou receberam uma newsletter interessante. Ou seja, eles estão interessados no que você tem a dizer e já são potenciais clientes. Dessa forma, você tem mais chances de gerar as conversões que deseja e criar um relacionamento duradouro com eles.

Ter resultados consistentes no longo prazo

Os resultados do SEO e das estratégias orgânicas nas redes sociais podem levar tempo. Talvez demore até você construir autoridade na internet, posicionar seu site no Google e ganhar a confiança dos consumidores. No entanto, quando esses resultados aparecem, eles passam a gerar conversões de forma consistente por um longo prazo.

Qual a diferença entre tráfego orgânico e tráfego pago?

Tráfego orgânico e tráfego pago são dois tipos de visitantes que você pode atrair para o seu site, por meio de diferentes estratégias. Talvez você esteja em dúvida sobre qual deles deve escolher, mas o ideal é conciliar as estratégias para cumprir diferentes objetivos no marketing digital.

Como dissemos, o tráfego orgânico serve para aumentar as visitas do site por meio de estratégias e mídias não pagas. Por trazer resultados no longo prazo, é mais focado na construção de relacionamento com os consumidores, de quem a marca se aproxima e conquista confiança.

O tráfego pago é diferente. Você precisa investir em mídias para atrair visitantes até o site; portanto, tem custos diretos com isso. Mas os resultados aparecem mais rapidamente, logo a partir de quando as campanhas começam a rodar. Dessa forma, o foco não é o relacionamento, e sim a conversão naquele momento, com uma performance de curto prazo.

Portanto, você pode conciliar as estratégias de acordo com o seu orçamento (investir ou não investir em mídia), os objetivos de marketing (foco em conversão ou em relacionamento) e a necessidade de resultados (imediatos ou no longo prazo).

Quais os principais canais de aquisição de tráfego orgânico?

A aquisição de tráfego orgânico pode ocorrer por meio de diferentes canais. Cada um tem suas características e contribui para diferentes objetivos da estratégia digital. 

Aqui é importante ressaltar que muitos profissionais consideram o tráfego orgânico apenas aquele que vem da busca orgânica. É assim também que o Google Analytics entende, ao classificar o tráfego da pesquisa orgânica como um dos canais de aquisição, diferente das redes sociais, e-mail marketing, links de referência e outros.

No entanto, é possível considerar também os visitantes das redes sociais, do e-mail marketing e de links de referência como tráfego orgânico, já que não exigem investimentos diretos em mídia. É essa a compreensão que utilizamos aqui e que vai ajudar você a pensar em estratégias não pagas para atrair potenciais clientes.

Veja agora mais detalhes sobre esses canais de aquisição de tráfego orgânico: 

Google e outros buscadores

O Google é a principal fonte de tráfego orgânico. Nos resultados da pesquisa orgânica do buscador, você pode atrair usuários que estão pesquisando naquele momento por alguma solução que a sua empresa entrega.

Melhor ainda é aparecer nos primeiros resultados, que geram mais visibilidade e cliques. Não por acaso, as estratégias de SEO, para posicionar páginas nos primeiros resultados do Google, são fundamentais para gerar tráfego orgânico. Elas também servem para outros buscadores, mas o Google ainda é o principal mecanismo de buscas na internet e deve estar no seu foco.

Redes sociais

As redes sociais também são bons canais de aquisição de tráfego orgânico. Você pode criar publicações orgânicas nos perfis da marca no Facebook, Instagram, LinkedIn, TikTok e outras plataformas. Dessa forma, você consegue aprofundar o relacionamento com os seguidores e transformá-los em potenciais clientes dentro do seu site.

E-mail marketing

O e-mail marketing também não exige investimentos diretos em mídia e pode gerar tráfego orgânico para o seu site. Você pode fazer isso por meio de e-mails promocionais, fluxos de nutrição e newsletters, com links para o seu site. A lista de assinantes que recebem seus envios já tem relação com a sua marca, interesse no seu conteúdo e potencial para a conversão.

Links de referência

O tráfego de referência representa os links que você recebe de outros sites. Também pode ser entendido como orgânico, já que não envolve custos diretos em mídia. Outros sites fazem referências às suas páginas pela qualidade do que você oferece. Assim, por recomendação de terceiros, o público acessa o seu site para conhecer seus conteúdos e ofertas.

12 estratégias para atrair mais visitantes orgânicos

A seguir, vamos conhecer as principais estratégias para atrair visitantes orgânicos. Vale lembrar que não basta levar os visitantes até o seu site — lá você deve ter conteúdos, ofertas e atrativos que engajem as pessoas e convertam em clientes. Só assim o tráfego orgânico se transforma em resultados efetivos para o seu negócio.

Vamos ver agora como levar os visitantes orgânicos até lá:

1. Descrição da persona

Nas estratégias de tráfego orgânico, não adianta atrair qualquer visitante. Eles devem ser qualificados, ter interesse nos seus conteúdos e ofertas e oferecer potencial de se tornarem clientes. Por isso, é importante conhecer bem a sua persona.

A persona é a descrição de um personagem que represente o seu cliente ideal, aquela pessoa que você deseja atrair para o seu negócio e ter bons resultados. É uma descrição de perfil, necessidades e dúvidas, baseada em dados reais, que você vai usar para se comunicar e traçar as estratégias. Portanto, na etapa do planejamento, conheça e descreva a sua persona.

2. Análise da concorrência

Outra forma de preparar as estratégias de tráfego orgânico é analisar o que os concorrentes estão fazendo. Assim, você pode entender o que dá certo, saber o que não funciona e ainda descobrir lacunas estratégicas que eles não estão aproveitando.

Você deve saber o seu volume de visitantes orgânicos, para quais palavras-chave eles estão rankeando, quais são suas principais páginas, quais as características dos seus melhores conteúdos, quais são seus principais parceiros de link building, entre outros aspectos.

Para isso, você pode utilizar ferramentas de análise de concorrentes, como Semrush, Similarweb ou Ahrefs. Todas essas ferramentas são pagas, mas oferecem recursos gratuitos que permitem “espionar” a concorrência.

3. Pesquisa de palavras-chave para tráfego orgânico

A pesquisa de palavras-chave embasa as estratégias de marketing de conteúdo e SEO. Essa estratégia serve para identificar quais termos a sua persona utiliza nos buscadores para encontrar as respostas que o seu site pode oferecer.

Você pode fazer listas de palavras-chave, listar sinônimos e variações e encontrar relações entre diferentes termos que representam uma mesma intenção de busca. Essas palavras-chave, então, devem ser usadas para planejar os conteúdos com maior volume de busca e potencial de conversão, considerando também o nível de concorrência por eles no Google.

Esses termos devem nortear a otimização do conteúdo e o SEO, mas não se prenda à correspondência exata da palavra-chave. O Google já é inteligente o bastante para entender a linguagem humana e a semântica das palavras, de maneira que pode exibir as suas páginas nas buscas por termos semelhantes, desde que o seu conteúdo responda bem à dúvida do usuário.

4. Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é a criação de publicações relevantes para o seu público, que respondam às suas dúvidas e necessidades, ajudem a amadurecer suas decisões de compra e tragam valor para a sua vida. Quando isso acontece, você se aproxima dos consumidores e conquista sua confiança.

Essa estratégia geralmente está alicerçada na criação de um blog da marca, que concentre as publicações em um só lugar e permita aprofundar os conteúdos. Mas você também pode usar as redes sociais e o e-mail marketing para produzir conteúdos e difundir os posts do blog.

Assim, quando o usuário fizer uma busca no Google que ative os seus conteúdos na página de resultados, você atrai tráfego orgânico. Quanto mais conteúdos de qualidade você publicar, focados nas dúvidas dos consumidores, mais chances você tem de aparecer bem-posicionado. 

5. SEO on page

O SEO on page se refere às otimizações realizadas nas próprias páginas do site. A intenção é sempre melhorar a experiência do usuário, mas também orientar o robô do Google para rastrear e indexar corretamente a página.

No SEO on page, você deve trabalhar as palavras-chave que estão na sua mira. O título da página, os intertítulos, a URL, a meta descrição, as tags das imagens, os links internos e as primeiras linhas do conteúdo são os principais elementos que devem conter a palavra-chave, considerando suas variações e sinônimos.

Além disso, o SEO on page engloba também as melhorias de escaneabilidade. Para isso, você pode dividir o texto em parágrafos mais curtos, destacar trechos em negrito, usar bullet points e listas numeradas e intercalar textos e imagens. Dessa maneira, a página oferece uma experiência de leitura mais interessante e permite uma leitura rápida.

6. Link building

Link building é uma maneira de fortalecer a sua autoridade na internet aos olhos do Google. Trata-se da estratégia de construir uma rede de links de qualidade direcionando para o seu site, de forma que o buscador perceba que você é uma referência no mercado.

Os links que direcionam para o seu site são chamados de backlinks. Além de enviarem tráfego diretamente para as suas páginas, eles transmitem a autoridade do site de origem para o seu site, o que ajuda a melhorar seu posicionamento no Google. Por isso, é importante conquistar backlinks de sites de autoridade, nos quais o Google também confia.

Para isso, você deve nutrir relações com players importantes do mercado, principalmente do seu nicho. Você pode ganhar backlinks relevantes naturalmente, apenas pela qualidade do seu conteúdo, mas também negociar guest posts (posts como convidado em outros blogs). Outra opção é procurar menções à sua marca sem link e solicitar ao site que inclua o seu link.

7. Otimização da SERP

Outra estratégia para gerar tráfego orgânico é otimizar o resumo das suas páginas na SERP (Search Engine Page Results, ou Resultados da Página do Mecanismo de Pesquisa, que é a página de resultados do Google). Esse resumo é chamado de snippet e atualmente exibe:

  • O nome do site;
  • O caminho até a página (URL e breadcrumbs);
  • O favicon (o ícone do site) 
  • O título da página;
  • Uma pequena descrição (meta description);
  • Em alguns casos, a data da publicação;
  • Em alguns casos, a imagem principal do site;
  • Em alguns casos, links internos do site.

Otimizar esses elementos da página ajuda a posicionar sua página para as palavras-chave certas, além de atrair o olhar e o clique do usuário, em meio aos concorrentes. O Google faz testes frequentes na SERP, então é importante sempre acompanhar as mudanças dos snippets das páginas para mantê-lo otimizado.

8. Usabilidade e UX

A missão do Google é oferecer a melhor experiência de busca. Nessa missão, o seu site também tem uma tarefa importante: oferecer a melhor experiência de navegação para os usuários, de maneira que eles encontrem as respostas que procuram e realizem as ações que desejam sem dificuldades ou obstáculos.

Para isso, é fundamental melhorar a usabilidade, como parte da experiência do usuário (UX). A usabilidade se refere à facilidade de uso do site, com o uso de padrões da web, botões visíveis, links fáceis de clicar, linguagem acessível, entre outros aspectos.

O Google consegue captar os sinais de UX e usabilidade dos sites, como o tempo de permanência e o número de páginas visitadas, e melhora o seu posicionamento na SERP. 

9. Design responsivo

Utilizar o design responsivo é uma forma de melhorar a usabilidade do site. As aplicações responsivas são funcionais e fáceis de usar em qualquer tamanho de tela. Você não precisa desenvolver um site para cada dispositivo — você tem apenas uma versão do site, que se adapta a todas as telas.

Dessa forma, você consegue oferecer uma boa experiência de navegação a todos os usuários, independentemente do dispositivo que estejam usando. Como os smartphones têm sido cada vez mais usados para acessar a web, é importante receber bem os visitantes que usam esses aparelhos.

O Google sabe disso e utiliza a compatibilidade com dispositivos móveis como um dos fatores de classificação da pesquisa. Portanto, a responsividade também vai ajudar a posicionar melhor o seu site.

10. Velocidade do site

A velocidade do site também é um fator de rankeamento do Google. Sites que carregam rapidamente oferecem uma melhor experiência aos usuários da internet, que não podem esperar nem um segundo a mais ou já vão para o concorrente. Por isso, melhorar a velocidade do site também é uma forma de atrair mais tráfego orgânico até o seu site.

Mas o Google não avalia apenas o tempo de carregamento quando o usuário abre o site — importa também a interatividade e a estabilidade visual da página enquanto ela carrega. Para avaliar isso, o buscador utiliza uma série de sinais, chamados de Core Web Vitals:

  • LCP (Largest Contentful Paint), avalia o tempo de carregamento do maior elemento de conteúdo visível da página; 
  • FID (First Input Delay), avalia o tempo entre a primeira interação do usuário (como cliques em links e toques em botões) e a resposta do site;
  • INP (Interaction to Next Paint), avalia o tempo que leva para a página para responder a todas as interações de clique, toque e teclado durante uma visita do usuário;
  • CLS (Cumulative Layout Shift), avalia as mudanças de layout inesperadas que ocorrem enquanto a página carrega seus elementos.

Você pode avaliar essas métricas na ferramenta PageSpeed Insights. É importante mantê-las dentro dos níveis recomendados para obter uma boa avaliação de desempenho do Google.

11. Conteúdo para redes sociais

As redes sociais servem para engajar os usuários, criar comunidades, humanizar a marca, promover seus produtos e, é claro, levar visitantes até o seu site. Publicações orgânicas podem gerar tráfego para o seu site — mas, para isso, devem ser focadas nos interesses do seu público.

Você pode criar conteúdos que sejam aprofundados no blog, com link para a página da publicação, ou que estejam relacionados a determinados produtos, de maneira que o link leve para a página de compra. O Instagram e o Facebook permitem ainda criar uma loja dentro da plataforma e direcionar para o seu e-commerce, sem precisar pagar por isso.

12. Newsletters

Newsletters também são uma boa oportunidade de gerar tráfego orgânico para o seu site. Mas, para isso, é necessário ter uma lista de assinantes robusta, com endereços válidos e atualizados, apenas de pessoas que autorizaram receber os seus envios.

As pessoas que se cadastraram na sua newsletter já demonstraram interesse nos seus conteúdos. Então, aproveite para fazê-las descobrirem outros conteúdos do seu site ou blog e conhecerem as suas ofertas. Dessa maneira, você nutre o relacionamento com esse público e monetiza a sua lista de assinantes, sem necessidade de investir em mídias. 

Como monitorar e analisar os resultados de tráfego orgânico

Os resultados do tráfego orgânico precisam ser monitorados, pois tendem a aparecer com mais força no médio ou longo prazo. Então, fique de olho no Google Analytics, no Google Search Console, nas ferramentas de social analytics e outras plataformas de dados que você utiliza.

A seguir, vamos conhecer as principais métricas que você deve monitorar para saber se as suas estratégias de tráfego orgânico estão dando certo.

Métricas de tráfego orgânico

As métricas de tráfego orgânico ajudam a analisar se as estratégias de SEO, conteúdo, social media e e-mail marketing que apresentamos antes estão funcionando. Estas são as principais:

  • Número de visitantes orgânicos;
  • Taxa de cliques (CTR orgânico);
  • Número de conversões do tráfego orgânico;
  • Taxa de conversão do tráfego orgânico;
  • Posição das principais palavras-chave na SERP;
  • Tempo de permanência na página;
  • Métricas do Core Web Vitals;
  • Número de novos backlinks;
  • Perfil dos backlinks;
  • Pontuação de autoridade do site (métrica da Semrush).

Para saber se você está tendo o melhor desempenho, é importante monitorar métricas que estejam alinhadas às suas metas — o que chamamos de KPIs ou indicadores-chave de performance. Então, selecione, entre as métricas acima, aquelas que indicam que você está no caminho das suas metas e objetivos.

Além disso, mantenha um histórico da sua performance no tráfego orgânico. Dessa forma, você pode monitorar a evolução das suas estratégias, comparar com o tráfego pago e focar naquilo que dá mais resultado.

O tráfego orgânico deve estar na mira das suas estratégias de marketing digital. Você pode obter resultados expressivos dos visitantes que vêm da busca orgânica do Google, das redes sociais e da sua lista de e-mails. Essas pessoas estão interessadas no que você tem a oferecer — então, crie as estratégias para atraí-las e transformá-las em clientes.

Agora, conte com a gente para planejar as melhores estratégias de tráfego orgânico e atrair visitantes qualificados. Fazemos uma análise de mercado completa e encontramos os parceiros ideais para aumentar a autoridade do seu site. Entre em contato agora para entender como podemos ajudar.

Autor:

Redatora freelancer, publicitária e especialista em Marketing Digital. Experiência em SEO para conteúdo e criação de textos para blogs, sites, ebooks, emails e outros canais digitais.

Quer receber mais conteúdo como esse?

Inscreva-se e receba em seu e-mail as melhores dicas para gerar mais tráfego e venda para o seu site.

O seu e-mail estará seguro e você poderá removê-lo quando quiser.
Seja avisado
Me avise sobre
guest
0 Comentários
Comentários de trechos do post
Ver todos os comentários

Aumente o Tráfego Orgânico do seu site

Invista em link building e seja melhor posicionado nos resultados de busca do Google, Bing, Yahoo e outros buscadores.

undraw growing - homem e gráfico crescente
0
O que achou deste conteúdo? Comente!x
Categorias:
Compartilhe: